Categoria
PISO TÉRREO
Sobre esta iniciativa

A edição de 2018 do “MIMO a minha cidade” manteve o intuito da edição anterior, revitalizar as áreas comerciais do centro da cidade, bem como, desenvolver roteiros artísticos ao longo das montras comerciais, apresentando um fio condutor e convidando o espectador a percorrer a rua, aproveitando o fluxo de visitantes durante o MIMO Festival e a época alta.

Foi lançado um Concurso de Ideias para a criação destes roteiros, com o tema base “História e Património Cultural de Amarante”, e aberto um Período de Inscrições para comerciantes.

O resultado: quatro roteiros artísticos de artistas amarantinos e 83 montras ilustradas (do edifício Navarras até Santa Luzia) visitáveis até final de setembro.

“Amores e Guitarradas”, por Beatriz Azevedo

Uma história entre um homem e uma mulher, dividida nas perspetivas de cada um (característica que a distingue das restantes intervenções, existindo dois começos – ERA e Surviaria – e um fim comum – Ousadias). A história faz alusão à criação da viola amarantina, intercalando com ícones e personagens da cultura Amarantina. O roteiro localiza-se no Edifício Navarras e Largo Conselheiro António Cândido, também conhecido por Arquinho.

“As Clarissas d’Amarante”, por José Pinto

Esta história dá-nos a conhecer o património material e imaterial de Amarante, fazendo a ligação entre a origem do esquecido Mosteiro de Santa Clara e um dos símbolos da gastronomia amarantina, os doces conventuais e regionais. O roteiro localiza-se ao longo da Rua 31 de Janeiro.

“Amadeo”, por Joana Torgal

Apresenta-se como uma reinterpretação das obras artísticas de Amadeo de Souza-Cardoso pelos olhos da artista. Desta forma, Amadeo é celebrado, trazendo a sua arte à rua, como se as suas telas, expostas em museus, se encontrassem espalhadas pelas montras da cidade. O roteiro situa-se na Rua 5 de Outubro e na Rua Cândido dos Reis.

“Os Diabos de Amarante”, por Alizia

Aborda a história das esculturas do casal de Diabos de Amarante. Ilustram-se então as aventuras e desventuras destas famosas esculturas, associadas a momentos históricos e referências culturais da cidade. O roteiro prolonga-se pela Rua Cândido dos Reis e por Santa Luzia.